Como Declarar Imóveis e Carros no Imposto de Renda 2019




Saiba aqui como declarar imóveis e carros no Imposto de Renda 2019.

De acordo com a Receita Federal, o período para declaração anual do Imposto de Renda será iniciado no dia 07 de março. O contribuinte precisará declarar, além dos seus rendimentos, os seus bens que também entram na lista de itens obrigatórios. O prazo final é o dia 30 de abril de 2019.

Vale lembrar que o preenchimento incorreto das informações pode ocasionar alguns problemas e fazer com que a pessoa caia na malha fina.


Nos próximos parágrafos, selecionamos algumas orientações sobre como declarar imóveis e carros.

Confira e saiba o que fazer para não ter problemas com sua declaração do Imposto de Renda 2019.

O que são considerados bens?

Para a Receita Federal, os bens envolvem títulos de clubes; fundos de previdência privada, dinheiro em espécie, participações societárias, ações, saldos em aplicações financeiras e contas de bancos, joias, obras de arte, imóveis e veículos, incluindo barcos e aeronaves.


O primeiro ponto a ser observado é que mesmo que o contribuinte não tenha um rendimento anual que seja superior ao valor de R$ 28.559,70 e nem rendimentos que são passíveis de isenção acima dos R$ 40 mil, se a soma do conjunto de seus bens for superior a 300 mil, ele obrigatoriamente terá que fazer a declaração.

Imposto de Renda 2019 – Declaração de carros

Se você já fez a declaração do ano passado de seu veículo será bem mais fácil em 2019, até porque o processo é quase que o mesmo.

Para dar início ao procedimento, o contribuinte precisará acessar o formulário “Bens e Direitos” e optar pelo código 21 (para veículo automotor terrestre).

Na seção “Discriminação”, a forma de aquisição e data, placa ou registro, ano de fabricação, modelo e marca são dados que devem ser informados.

Caso você tenha comprado ou vendido um carro no ano passado, é preciso informar os detalhes dessa transação ou ainda, informar se adquiriu um novo veículo.

Se a situação for de um carro financiado, também será preciso fazer os lançamentos dos valores que foram, de fato, pagos no ano passado e, na sequência, somar aos valores que foram pagos nos anos anteriores.

Da mesma maneira como ocorre com a compra ou a venda, no caso do financiamento é necessário detalhar no campo “Discriminação” que o veículo foi adquirido por meio dessa forma.

Imposto de Renda 2019 – Declaração de Imóveis

A declaração de imóveis também deve ser realizada no formulário “Bens e Direitos”. Mas é preciso ter atenção: se for um apartamento, a inclusão deve ser feita na linha 11; caso seja uma casa, na linha 12 e se for terreno, o campo é a linha 13.

O mais indicado é que seja incluído o máximo de informações possíveis como, se o imóvel foi financiado, forma de aquisição, instituição que financiou, matrícula,endereço, etc.

Se a pessoa comprou o imóvel ainda na planta e deu um determinado valor de entrada para a construtora e na sequência começou a pagar as parcelas por meio de uma instituição financeira, é fundamental esclarecer os valores que foram e que estão sendo direcionados para cada um.

Declaração conjunta

Se o casal possui bens em conjunto e cada um fizer sua respectiva declaração, é desnecessário que se repita os itens/bens em ambas declarações.

Na realidade, essa situação é bem simples de ser resolvida: Ao abrir o formulário de “Bens e Direitos” e fazer o preenchimento corretamente, vá até a seção “cônjuges”. Aqui, apenas um dos dois faz a declaração usando o código “99”.

Enquanto isso, o outro apenas informa em sua declaração que os bens em conjunto já foram detalhados no nome do cônjuge.

Atenção: Em 2018, a Receita Federal chegou a divulgar que a partir de 2019 seria obrigatório que os contribuintes detalhassem mais informações sobre seus imóveis e carros tais como o número do Renavam do veículo, o IPTU e a matrícula do imóvel.

Porém, o Fisco optou por adiar essa medida e torná-la obrigatória somente a partir de 2020. Sendo assim, em 2019 inserir esses dados é opcional, mas vale a pena fazer isso para entender e facilitar o processo de declaração quando tudo se tornar obrigatório.

Por fim, em qualquer dúvida a melhor solução é procurar um contador especializado. A Declaração do Imposto de Renda é algo sério e muito complexo. E quem estiver fazendo pela primeira vez inevitavelmente terá dificuldades.

Gostou desse artigo? Aproveite e compartilhe essas informações em suas redes sociais preferidas!

Denisson A. Soares

Postar Comentário